Flautistas Brasil
brasil.png
Marina Mafra_flautadoce.jpg

Marina Mafra

BRASIL

Natural de Belo Horizonte(MG), Brasil, iniciou sua trajetória com a Flauta Doce aos 6 anos, na Fundação de Educação Artística (FEA). Ao longo dos anos estudou também piano, flauta transversal, canto e violoncelo. Graduada em Música com habilitação em Flauta Doce pela Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG (2005). Participou de Master classes com os flautistas Natália Chahin, Marion Verbruggen, Ricardo Kanji, Gustavo de Francisco, Renata Pereira, Rotem Gilbert, António Carrilho e Davi Castelo. Foi professora de flauta doce na FEA, na UEMG e no Conservatório Estadual de Música de Varginha - CEMVA. Integrante do grupo Musica Figurata, desde 2010 participa de diversos concertos com o cravista e professor Dr. Robson Bessa, incluindo concertos no 30° Festival de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora ao lado dos músicos Rotem Gilbert, Diego Léveric, Veruschka Mainhardt e Lucas Bracher. Atualmente é mestranda em música, com especialização em Flauta de Bisel, pela ESART/IPCB, em Portugal, sob a orientação do renomado flautista António Carrilho.

_GB_6499.jpg

Luciana Castillo Lizárraga

PERÚ-BRASIL

Graduada de la Escola Municipal de Música de São Paulo en flauta dulce en 2019 bajo la orientación de Hélcio Muller, inició sus estudios con la profesora Suzuki Lucia Nieto y luego con Sergio Portilla en Lima. Participó de la Oficina de Música Antiga de la EMM desde su inicio con Nicolau de Figueiredo hasta 2018. Fue solista e integrante de ensambles de diversos Festivales Internacionales como el Encontro de Pesquisadores em Poética Musical y ENFLAMA en Brasil, Festival Internacional de Música Antigua en Peru, Festival de Música Antigua del Paraná y Festival de Música Barroca “Los caminos de las Estancias” en Argentina, bajo la dirección de Gabriel Garrido (Suiza-Argentina) y Paul Leenhouts (Holanda). Es Productora Ejecutiva del Festival Internacional Suzuki de Música del Perú y profesora de flauta dulce y estimulación temprana del Centro Suzuki de Campinas. Integró el Ensemble Artifex (Peru), Audi Coelum e actualmente es parte de la Orquestra Arte Barroca (Sao Paulo, Brasil).

Giulia Tettamanti-Brasil.JPG

Giulia Tetamantti

BRASIL

Nasceu em São Paulo em 1984. Formada em flauta doce pelo Conservatório de Tatuí/SP, pela Universidade Estadual de São Paulo (UNESP) e mestre em Música - Fundamentos Teóricos pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Em sua dissertação, defendida em 2010 e orientada pelo Prof. Dr. Paulo Mugayar Kühl com auxílio da FAPESP, apresentou uma tradução comentada e contextualizada da Opera Intitulata Fontegara de Silvestro Ganassi dal Fontego (1492 - c.1572). Entre 2010-2013 se especializou no repertório renascentista e em consorts de flauta doce com o Prof. Dr. Pedro Sousa Silva na ESMAE, na cidade do Porto/Portugal. Desde 2008 desenvolve intensa pesquisa sobre a vida, o contexto e a obra de Silvestro Ganassi, tendo publicado artigos e participado de diversos encontros musicológicos. Na área da performance, participou de oficinas e masterclasses no Brasil, Portugal e Itália, nos quais teve aulas com Pierre Hamon, Ricardo Kanji, Robert Ehrlich, Han Tol, entre outros. Em 2005, 2006 e 2010 foi solista convidada da Orquesta de la Universidad del Norte, Asunción, Paraguay, sob direção do Maestro Diego Sanches Haase. Integrou por diversos anos o Conjunto de Música Antiga da ECA-USP, os grupos Il Dolcimelo e Ficta e os conjuntos renascentistas Consort Bassano da ECA/USP e Sesquialtera - Consort Renascentista da ESMAE.

Foto Daniel Figueiredo.jpg

Daniel "Procópio" Figueiredo

BRASIL

Músico, artista e pesquisador, é Bacharel em Instrumento Antigo Flauta Doce pelo Instituto de Artes da Unesp, onde estudou com Cesar Villavicencio e Giulia Tettamanti. Na mesma instituição, concluiu o Mestrado em Musicologia com bolsa FAPESP e, no momento, cursa o Doutorado em Análise Musical, ambos sob a orientação do Prof. Dr. Marcos Pupo Nogueira e a respeito das diminuições de Giovanni Bassano, compositor e cornetista da Renascença. Em 2020, juntamente com o flautista Alfredo Zaine, lançou [como Procópio] seu primeiro EP "A Quarentena, o Renascimento e a Peste Moderna", contendo obras de Andrea Ganassi, Thomas Morley, Orlando di Lasso, Antoine Brumel e Alvise Balbi, trabalho no qual também assina as ilustrações do encarte. Atualmente, estuda oboé barroco com Natalia Chahin no Núcleo de Música Antiga da EMESP.(Sao Paulo, Brasil).

Alfredo Zaine.jpg

Alfredo Zaine

BRASIL

É mestre em música pela Escola Superior de Música e Artes de Stuttgart (Alemanha), onde recebeu o Prêmio DAAD como aluno internacional de maior destaque dentro instituição, onde integrou o Ensemble Studio Alte Musik e foi tutor do Ensemble de Flautas doces. Participou de montagens de óperas e de séries de concertos como os da Filarmônica de Stuttgart, Academia de Música Antiga de Baden-Württemberg e da série Bach Vokal. Realizou concertos na Itália, Holanda, França, China, Namíbia e Vietnã. Dentre as gravações que participou, incluem o álbum Der Arme Konrad 1514 e o álbum Reformation in Württemberg, Lieder und Stimmen der Reformation ─ ambos à convite do Arquivo Estadual de Baden-Württemberg além de uma gravação das cantatas BWV 18 e 71 de Johann Sebastian Bach para a rádio SWR2, de Stuttgart. Ainda jovem, foi premiado nas categorias solo e conjunto no Concurso de Flauta doce da Fundação Magda Tagliaferro em São Paulo, além de ser selecionado como um dos músicos paulistas para o Programa Furnas Geração Musical. Foi professor de flauta doce na Universidade Federal do Rio de Janeiro e, também, professor no Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora. Hoje leciona flauta doce como professor substituto no Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista — Unesp e já realizou dois Encontros Nacionais de Flauta Doce em São Paulo, nos anos de 2007 e 2012.

Duo%20Enarmonia_%20Rafael%20Silva%20y%20

Dúo Enarmonía- Rafael Augusto e Romes Jorge

BRASIL

O Duo Enarmonia, de Uberlândia/MG (BRASIL) é formado pelos irmãos gêmeos Rafael Augusto e Romes Jorge se dedica à interpretação de músicas do período barroco e pré-clássico. Com extensa experiência no cenário da música antiga no Brasil e exterior, os músicos utilizam cópias de instrumentos históricos como flauta doce, oboé barroco e fagote barroco.

O Duo possui experiência em performance e didática da música historicamente orientada. Já se apresentou diversos países incluindo Itália, Uruguai, Portugal, Polônia, e em diversas ocasiões no Brasil como na Sala São Paulo e Sala Cecília Meireles.

Com formação e residência em Uberlândia-MG, os músicos já estudaram também no exterior e além de instrumentistas são produtores com portifólio que inclui Seminários e Séries de Concertos.